segunda-feira, 27 de junho de 2011

Algumas coisas sobre Marcas

Uma das marcas mais conhecidas e sólidas do mundo

Marca é a representação simbólica de uma entidade, qualquer que seja ela, algo que permita identificar de um modo imediato, podendo ser um signo, símbolo, ícone, formas, cores e em alguns casos até sons. Hoje em dia o termo é frequentemente usado como referência a uma determinada empresa: um nome, marca verbal, imagens ou conceitos que distinguem o produto, serviço ou a própria empresa. Podendo ser também uma representação gráfica, uma composição de um símbolo e/ ou logotipo, tanto individualmente quanto combinado.  O conceito de marca é bem mais abrangente que a sua representação gráfica e mais intangível do que tangível, pois o consumidor de determinada classificação demográfica tem sensações, experiências e percepções diferentes sobre a mesma marca em relação a outro consumidor. Tal como uma pessoa, uma marca tem uma identidade física ou formal, um caráter, uma personalidade ligada à sua história e aos seus valores fundamentais (identidade cultural da marca), sempre tentando associar a imagem da marca à qualidade do produto.
O nome
É o mais importante elemento do dispositivo identificador de uma marca. Existem vários tipos de nomes:
  • Patronímico: marcas que têm por nome o do seu fundador
  • Sigla: nomes que resultam da transformação do nome de uma empresa numa sigla própria
  • Evocativo: o nome da marca lembra a categoria de produto
  • Marca de fantasia: nomes que podem ter um significado prévio
  • Marca de família: nome construído com um prefixo ou um sufixo tirado da marca institucional
  • Somatório de nomes: nomes que evitam susceptibilidades quando resultam de reestruturações
O nome deve:
  • Ser curto (não mais de três sílabas) e de fácil memorização
  • Não deve ter conotações indesejáveis (trocadilhos que possam surgir relativamente ao nome das marcas)
  • O nome deve ser internacional, alguns nomes são difíceis de pronunciar nas línguas estrangeiras, relativamente ao país de origem.
  • O nome deve ser disponível e defensável juridicamente
  • O nome não deve ser restritivo, deve permitir extensões de marca para outros produtos.

A embalagem e o design do produto

A embalagem tem como fim de permitir ou facilitar a proteção do produto, o seu transporte, armazenagem, a informação sobre o mesmo, mas também a sua apresentação, a sua identificação e utilização pelos consumidores. A embalagem assume um papel fundamental, na medida em que contribui para atrair o olhar dos clientes, fazer com que o produto seja reconhecido ou identificado por eles e suscitar-lhes o desejo de compra, assumindo um papel de “vendedor silencioso”.

Componentes da marca

Uma marca pode ser composta por um só ou por vários componentes. O excesso de sinais distintivos pode vir a prejudicar a leitura da marca e a compreensão do consumidor. Os elementos que compõem a identidade visual de uma marca são:
  • O logotipo: é a bandeira da marca, pode evoluir para permanecer atual, mas sem perturbar a percepção dos consumidores. O logotipo é a particularização escrita de um nome e tem obrigatoriamente letras.
  • O símbolo: consiste num sinal gráfico que passa a identificar um nome, uma ideia, um produto ou serviço. O símbolo, associado ou não ao logótipo, tem um sinal específico e desperta nas pessoas uma série de informações e experiências armazenadas.
  • O jingle: designa, geralmente, um refrão publicitário. Neste caso, o seu papel pode ser efémero. O jingle de marca é uma música, passível de se identificar com a marca para depois a apresentar para sempre.
  • A assinatura da marca: reserva-se o termo slogan para as frases publicitárias e o termo “assinatura” de marca para expressões que acompanham, na maioria dos casos, as marcas institucionais e, menos, as marcas produtos.
  • O grafismo de marca:são elementos permanentes de expressão formal de uma marca. Favorecema identificação e a atribuição da marca em todos os registros de expressão.
Fonte: Wikipédia

Nenhum comentário:

Postar um comentário